Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

A pesca predatória

Mäyjo, 08.06.09

Diariamente dão à praia, ao amanhecer, tartarugas e pequenos peixes (foto) vitimados pelas redes da pesca de arrastão.

Por predatória a modalidade é proibida nos 8.500 quilómetros da costa brasileira. A falta de fiscalização associada à tradicional incúria brasileira, no entanto, jamais conseguiu contê-la. Sequer reduzi-la. Em Búzios, festejado balneário de abonados fluminenses e argentinos (pois é!) nas praias Rasa e Manguinhos, mais frequentada pelos locais e pouco pelos turistas, a cada meia dúzia de passos é possível tropeçar em jovens sardinhas, pescadas e espadas. Tartarugas, perde-se a conta. Maldade pura.

De pescadas e espadas pouco sei, além de que o espada adulto chega a 1,5 metro de carne tenra e branca. Os que vi na areia de Manguinhos não mediam mais de 20 centímetros. As pescadas e sardinhas não chegavam a 15 centímetros.

Pior: da sardinha sabe-se que estamos em pleno defeso, a época de procriação em que a captura deve ser proibida para garantia de permanência da espécie nos mares.

Pelo tamanho da malha nos pedaços de rede que às vezes dão à praia percebe-se a intenção de arrebanhar tudo o que está no mar. Na hora de recolher o arrastão os menores exemplares, sem qualquer possibilidade de atravessar nos cobres são devolvidos ao mar já sem chances de sobreviver.

 

in: http://xicovargas.uol.com.br/index.php/558